23 maio 2016

Condutores de ambulância de Pernambuco fazem protesto e paralisação

Os condutores de ambulância da empresa Urja Social, que atende ao programa Conduz, do Governo do Estado, realizam um ato público e cruzam os braços na manhã desta segunda-feira. A categoria denuncia a falta de pagamento dos salários  há cinco meses e alega não ter perspectiva para o recebimento. 


O ato teve início às 5h30, na Avenida Agamenon Magalhães, Vila Popular, em Olinda. Segundo o sindicato que representa a categoria, nesta segunda-feira a paralisação dos serviços de transporte ambulatorial afeta cerca de 300 pacientes que precisam se locomover a clínicas e hospitais para realizarem atendimendo de fisioterapia. Apenas três ambulâncias estão circulando, mantendo o transporte de pacientes que fazem hemodiálise.

Concentrados em Olinda, os trabalhadores aguardam uma resposta da empresa e esperam ser chamados para uma reunião de negociação com o governo do estado ainda hoje.  Caso não haja avanço nas negociações, aos trabalhadores ameaçam deflagrar uma greve por tempo indeterminado.
 
Esta manhã, a Empresa Urja Social divulgou uma nota, reconhecendo o atraso no pagamento dos salários da categoria. Confira o documento na íntegra:

A Urja Social, empresa que opera há três anos o programa PE Conduz da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude do Governo de Pernambuco, reconhece a gravidade da crise econômica que penaliza o país, Pernambuco inclusive.

Reafirma sua solidariedade com os esforços que o Governo vem fazendo, mas comunica aos pernambucanos que, lamentavelmente está com dificuldades de manter sua folha de pagamento em dia, como vem fazendo nos últimos meses, sem a devida regularização do fluxo de pagamentos. À nossa revelia, nossos funcionários entraram em greve. A Urja espera que o Estado consiga rapidamente equacionar o problema para o serviço voltar a operar normalmente.

Fonte: Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário