31 maio 2016

Justiça de São Paulo nega liberdade a policial acusado de agredir iraniano


A Justiça de São Paulo negou o pedido de liberdade para o policial civil José Camilo Leonel, de 51 anos, preso preventivamente desde o dia 14 de abril sob a acusação de torturar o comerciante iraniano Navid Sayasan, de 47, em janeiro deste ano. O investigador ainda é acusado de ameaçar, constranger ilegalmente, denunciar caluniosamente, comunicar falsamente um crime e abusar de autoridade contra o comerciante de tapetes. As agressões contra Navid ocorreram no dia 21 de janeiro dentro e fora da loja de tapetes dele, nos Jardins, área nobre da capital paulista. Leonel tinha ido ao estabelecimento comercial a pedido da estudante de direito Iolanda Delce dos Santos, 29, que tinha se arrependido de comprar um tapete persa de R$ 5 mil em dezembro de 2015 e queria o dinheiro de volta. Como o iraniano não quis devolver a Iolanda o valor pago pelo tapete, ela chamou o policial, que espancou e ameaçou o dono da loja apontando uma arma para a cabeça dele. As agressões foram gravadas por câmeras de segurança do estabelecimento e exibidas pelo Fantástico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário