04 agosto 2016

Ministério Público Federal apura denúncia de exploração trabalhista pelo Uber


Regulamentado em julho pela Prefeitura de São Paulo, o aplicativo de transporte Uber é alvo de investigações no Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e Ministério Público do Trabalho motivadas por denúncias de irregularidades trabalhistas e econômicas. As denúncias foram apresentadas pela Associação dos Motoristas Autônomos por Aplicativos (AMA), presidida pelo economista e ex-parceiro da Uber, Paulo Acras. O Ministério Público Federal instaurou procedimento administrativo e criminal para apurar denúncias de exploração de trabalhadores para vencer a concorrência. O Uber disse que não é a empresa que contrata motoristas, mas os motoristas que a contratam para utilizar o aplicativo para prestar serviço de transporte individual privado de passageiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário