24 outubro 2016

Mais perto do Rio Capibaribe


A reinauguração do dique do Jardim do Baobá, localizado no bairro das Graças, movimentou o endereço ao longo do domingo (23), quando várias famílias aproveitaram a ocasião para fazer o passeio de barco que parte do local e segue pelo Rio Capibaribe. A construção faz parte da revitalização da área, que foi inaugurada como Jardim do Baobá em 10 de abril deste ano, fazendo parte da primeira etapa do projeto Parque Capibaribe.
A estrutura de madeira que leva ao dique foi instalada há dois meses e havia cedido na semana passada, levando à sua interdição por alguns dias, mas foi consertada e já está aberta para o público novamente. Apesar de a obra ter sido entregue à população desde setembro, o Jardim vem sendo descoberto por parte da população somente agora, como é o caso da empresária Vânia Ferreira, de 42 anos. “Achei muito bacana o espaço, bem organizado. Temos poucos parques no Recife, que já estão saturados e precisamos de ambientes saudáveis para levar as crianças. Aqui acaba sendo um aprendizado sobre o meio-ambiente local também”, observou ela, que tem duas filhas.
O jornalista Sérgio Travassos, de 43 anos, destacou a importância de cada bairro contar com iniciativas similares. “É importante para a comunidade conviver. Além disso a cidade está carente de lugares que incentivem o contato com a natureza”, comentou ele, que foi ao Jardim do Baobá com o sobrinho.
Outro espaço à beira do Rio Capibaribe que foi inaugurado no último final de semana foi o Cais do Imperador, que agora conta com monumentos contando a história do lugar e uma cafeteria. Ontem, espaço estava cheio de visitantes que conferiam as placas e usavam a área do comércio. “Achei a iniciativa fantástica, porque valoriza a nossa geografia. Acho que o Recife precisa interagir mais com o Capibaribe e com o café você passa mais tempo em contato com ele”, opinou a servidora pública Carolina Almeida.
Fonte:Folha de Pernambuco
Durabilidade
Apesar de terem aprovado a proposta do Cais do Imperador, alguns visitantes se mostraram preocupados quanto à durabilidade do material empregado na construção e confecção dos monumentos. Feitas de metal e vidro, as placas explicativas sobre a história do lugar estão em área de grande fluxo de pessoas e ficam sujeitas a atos de depredação, que infelizmente são comuns na região, como roubos e pichações. O bairro é palco de grandes festas pernambucanas, a exemplo do Carnaval.

Nenhum comentário:

Postar um comentário