28 dezembro 2016

Planalto cancela compra de até R$ 1,7 milhão em comida para avião de Temer

O Palácio do Planalto anunciou nesta terça-feira (27) o cancelamento da licitação no valor de R$ 1,75 milhão para compra de lanches e refeições para o avião do presidente Michel Temer (PMDB). O anúncio ocorreu horas depois de a notícia sobre a compra de sorvetes, sucos, pães sem glúten e outros itens repercutir em redes sociais. O motivo da desistência não foi informado, num primeiro momento.
No começo da noite, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República divulgou uma nota com a seguinte informação:
"O presidente Michel Temer, ao embarcar de volta de viagem de trabalho a Maceió, tomou conhecimento da notícia sobre licitação para comissaria de bordo para o avião presidencial e determinou seu imediato cancelamento. A determinação presidencial é de que também este serviço tenha seu preço reduzido em relação ao que vinha sendo praticado anteriormente. A mesma instrução vale para todas as aeronaves que servem ao Governo Federal."
A informação sobre a desistência já tinha sido confirmada mais cedo, pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em seu perfil na rede social Twitter. "Por orientação presidencial, foi cancelado o Pregão 14/2016, para o dia 02.01.2017, de Serviços de Comissária Aérea", escreveu o ministro, sem explicar o motivo do cancelamento.
A licitação havia sido lançada na semana passada. Empresas interessadas em abastecer com alimentos e bebidas a aeronave presidencial deveriam apresentar suas propostas para o serviço na próxima segunda-feira (2).

De acordo com o edital da concorrência, mais de 170 itens alimentícios seriam comprados pelo governo. Entre eles, cinco tipos de sorvetes e outros cinco sabores de picolés.
Só em sorvetes do tipo premium da Haagen Dazs, o governo pretendia gastar R$ 7.500. Seriam 500 potes de 100 gramas, orçados em R$ 15,09 cada um.
O Planalto também deveria gastar mais de R$ 21 mil em 1.500 litros de água de coco para o avião, outros R$ 18,3 mil em 5.000 cápsulas de café expresso, e mais de R$ 96 mil em 1.500 tortas de chocolate.
Para o avião de Temer, cada sanduíche de mortadela custaria até R$ 16,45. A Presidência já tinha encomendado 500 deles. Encomendara também 500 sanduíches de atum e outros 2.500 do tipo misto (com presunto e queijo).
Já os almoços e jantares que seriam servidos no avião do presidente custariam até R$ 167 cada. Incluiriam entrada, prato principal e sobremesa. Pelo cardápio descrito na licitação, teriam medalhão de filé, cordeiro assado ou supremo de frango grelhado, além de acompanhamentos.
Os cafés da manhã no avião poderiam custar mais de R$ 96 cada. Incluiriam iogurte tipo grego, frutas da estação em cubos, frios fatiados, pães e um prato principal: omelete, quiche, beirute ou outros.
Fonte:UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário